Resenha: Perdão, Leonard Peacock por Matthew Quick


Perdão, Leonard Peacock
Editora: Intrínseca
Páginas:224
Nota: 5/5


Sinopse: Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto. 






Nesse livro de Matthew Quick temos como personagem principal Leonard, um jovem garoto que é deixado de lado pela mãe que segue a carreira no ramo da moda e pouco liga para o filho.

Hoje é um dia especial, é o dia de Leonard, ele completará 18 anos. Tudo que ele desejaria ouvir, de qualquer pessoa que fosse era uma “feliz aniversário” ou “parabéns” porém isso não ocorre, ele sabia que isso não ocorreria. Ele tinha um plano para essa data: Matar Asher Beal, seu ex-melhor amigo  e então, matar a si próprio.


Antes de cumprir o seu plano Leonard tinha que entregar quatro presentes para quatro pessoas especiais, seus quatro amigos.  A escola para o garoto se torna “fácil” de suportar graças a Herr Silverman, seu professor de Holocausto. Herr é o único professor no qual Leo gostava,  pois ele adorava as aulas e adorava como os alunos se sentiam nas aulas dele. Seu professor favorito tinha um mistério: Ele sempre dava aula com blusas de manga longa, nunca mostrava os braços.

– Os seus colegas de escola também não lhe parecem miseráveis? Eu odiava a escola. ODIAVA!
E eu disse:
 – Sim, a maioria deles parece infeliz. Apesar de tentarem disfarçar o melhor que podem. Jovens fingem melhor do que adultos, certo? Minha teoria é a de que perdemos a capacidade de ser feliz à medida que envelhecemos.

Perdão, Leonard Peacock foi um livro que mexeu comigo. Nunca esperei muito do livro, há pouco tempo julgava a capa feia e por isso tinha pouquíssima vontade de lê-lo. Nessas férias acabei escolhendo ele por acaso na estante e me surpreendi bastante, pois é um livro realmente bom que deveria ter sido lido antes.
Matthew Quick nos ensina muito nesse livro. Durante todo o enredo vemos menção ao Holocausto, vemos como Leonard pensa sobre isso e sobre várias outras coisas.  O livro não fala só do holocausto como também do homossexualismo, bullying, e de uma coisa bem simples: A felicidade e a falta dela.

Eu sei que você só quer que tudo acabe, que não consegue ver nada de bom em seu futuro, que o mundo parece terrível, e talvez  você tenha razão, o mundo pode ser, definitivamente, um lugar apavorante.

P.S.: Uma coisa que achei interessante nesse livro é que ao decorrer da história temos notas de rodapé, na verdade, são várias notas de rodapé, ao todo, temos 70 no livro. 70 notas de rodapé que eu tive o enorme prazer em ler.


P.S.:2  Nem de longe consegui expressar nessa resenha o que o livro transmitiu para mim, porém espero que vocês tenham gostado e que se aventurem a conhecer um pouco mais sobre Perdão Leonard Peacock. 

16 comentários

  1. Eu sou completamente louca para ler esse livro. Eu já li o primeiro capítulo no site da editora e me encantei completamente. Eu preciso muito,muito mesmo desse livro kkkkkk Beijos
    http://chuvacobertaelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Ita, tudo bom? Li O Lado Bom da Vida desse mesmo autor e gostei muuuuito, mas não tenho interesse nenhum em ler esse :/ quem sabe mais pra frente né?
    Sua resenha ta ótima, eu adorei!!!

    ResponderExcluir
  3. Oiee ^^
    Li esse livro e também amei ♥ não tinha expectativas altas para ele e me surpreendi bastante, principalmente com o personagem. Fiquei de queixo caído quando acabou e querendo mais *-*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oiee.
    Não li este livro ainda, mas com certeza deve ser ótimo mesmo. Gostei de sua resenha, pois me deixou bastante curiosa

    Beijos
    http://www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Ita :D
    Ahhh, eu também não acho a capa das melhores, mas a sinopse e as resenhas super positivas sempre me deram aquela vontadezinha de conhecer. Espero lê-lo ainda esse ano, quem sabe :D

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  6. Não li o livro, mas tenho curiosidade, se pá eu vou ler esse ano se der pra encaixar kkk
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu detestei o livro e acho que fui a unica no mundo, pois todo mundo fala super bem dele. :( http://cantinhodacarolll.blogspot.com.br/2015/01/vinte-mil-lenguas-submarinas.html?showComment=1421074907258#c7588273676547900517

    ResponderExcluir
  8. Amei a resenha e claro o seu blog é lindo. Parabéns.

    Abraços querido e sucesso, seguindo e curtindo aqui.
    http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/01/quanto-mais-melhor.html

    ResponderExcluir
  9. Oi Italo, tudo bom?
    Acredita que eu tenho este livro desde a Bienal do Rio, quando o Matthew veio para cá? Pois é, até hoje eu não li, mas não foi por falta de vontade, foi mais falta de tempo mesmo.
    Agora que vi sua resenha, vou adiantá-lo na fila e eu também amo notas de rodapé. Dão um charme ao livro!
    Beijão
    http://www.sarahmarques.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Bom, eu já vi vários comentários sobre esse livro e fiquei bem animada com ele, mas nunca tinha parado para ler algo que realmente falasse sobre o livro, acredita? kkkk Eu fiquei com pena do Leonard, a mãe dele não ligar para ele já é ruim e ele ainda não receber nenhuma mensagem no aniversário é cruel, coitado :c Mas isso não é motivo para ele se matar e querer matar o ex-melhor amigo também :/ A capa do livro eu sempre achei linda, ela foi a responsável por me deixar interessada no livro desde o início kkkk Enfim, eu estou super ansiosa para ler esse livro, acho que vou gostar bastante, pelo o que você falou imagino que eu vá me emocionar bastante também.

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oie Ita, gatinho <3
    Então, o livro n é muito o meu estilo, aushau, e apesar de voce ter gostado tanto, n acho que leria :´
    www.muchdreamer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bom?
    Dos livros do autor esse é o que mais tenho vontade de ler. Minha prima também gostou muito da história e sempre recomenda (até me emprestou). Acredito que a premissa discute assuntos importantes e não vejo a hora de conhecer a história.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. oi, tudo bem?
    esse livro parece ser mesmo bem denso e reflexivo. Eu também não tinha o menor interesse de ler, e isso era gratuito, porque nem a sinopse tinha visto, rs, até que li uma resenha a alguns meses, e depois li outras, e então a curiosidade veio batendo
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Realmente o lettering na capa não chama a atenção. A resenha não me fez me interessar em ler, apesar de você escrever bem, mas pelos comentários parece um bom livro.

    ResponderExcluir
  15. Oi Italo, tudo bem?

    Só quero saber se ele morre ou não no final u.u hahahhahaha

    Eu achei a história bem próxima com a realidade dos adolescentes de lá de fora, infelizmente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi Italo!
    Achei os temas abordados no livro bem críticos e interessantes!
    Fiquei curiosa com a abordagem sobre o Holocausto!
    Parabéns pela resenha! Beijos

    ResponderExcluir