Resenha: O Herói Anônimo por Renan Rangel


Ola leitores, hoje trago para vocês a a resenha de um livro com um tema um pouco diferente: Velho Oeste. Tenho que admitir que essa não é "minha praia" e eu sai da área de conforto quando comecei esse livro, porém foi uma ótima experiência.

O Herói Anônimo
Editora: Baraúna
Páginas: 317
Nota: 3/5


Sinopse: Em O Herói Anônimo, Renan Rangel nos traz um herói sem fantasias, sem grandes efeitos aos olhos humanos. Em seu primeiro livro, é contada a história de John Bryan, um herói que não foi visto por aqueles que olharam depressa demais e deixaram passar despercebidas as pequenas coisas, pois são delas que surgem as grandes. E, em um tempo violento do Velho Oeste, sua maior arma era o amor.







Nesse livro temos como personagem principal John Bryan, um garoto da cidade de Montana. John morava em Montana quando era pequeno mas sua família passou por alguns “problemas” por causa de Tico Ramirez, o valentão da cidade, o que acabou levando a mudança de todos os seus parentes.

Anos depois  John volta a cidade, mas não da forma que saiu, ele agora era um homem.  Ele acabou retornando para sua cidade pois o seu cavalo morreu e ele não poderia continuar sua viagem.  Alguns se lembravam dele, porém ele só foi acolhido por uma pessoa: James Taylor, o carteiro da cidade.

John e James viram amigos rapidamente. E entre conversar de amigos John descobre que James era apaixonado por Tereza, uma linda mulher que habitava a cidade. James realmente gostava dela, porém nunca teve coragem de admitir tal paixão por medo. Tereza era viúva e a tempos não se envolvia com outro homem.

Não sei quais são seus objetivos, suas prioridades, mas sei que, se você acha realmente importante essa mulher, deveria lutar, a vida é curta. Não tenha medo de cometer erros, pois, na maioria das vezes, os melhores prêmios vêm quando se faz aquilo que mais se teme.


Durante uma comemoração na Cidade John se destaca como melhor e mais rápido atirador da cidade – evento que choca todos, inclusive Tico que até então tinha esse título. – Tudo isso para que Rachel o percebesse. Ela era uma das mulheres de Montana, Rachel era médica e todos na cidade a conheciam e tinha um enorme carinho por ela. John também tinha um enorme carinho por ela, um carinho diferente dos outros.





Tico é surpreendido com a volta dele e como ele vem se comportando em sua cidade, sua filha Sally admirou muito o forasteiro e pediu para que ele o convidasse para um jantar no qual Tico estava organizando. E é claro, John não deixou de comparecer com seu amigo. O que aconteceu nesse jantar? Bem, só lendo para saber.


O ser humano causa sua própria destruição, por rancor, egoísmo, mágoa, inveja, mentira, ambição e, no final de tudo, Deus é o acusado de ser o culpado, por permitir tal tragédia.

Como disse no começo desse post, sai da minha zona de conforto quando li o herói anônimo, porém foi uma leitura bem interessante. O livro tem tudo o que você pode imaginar em uma cidade de velho oeste: Um Saloon, bêbados, garotas de programa, corruptos, alguém que mande na cidade, um xerife, o fofoqueiro, e os que vou classificar como “menos importantes”.

Todavia Renan Rangel fez o diferencial, ele não deu ênfase só nos principais, ele soube como fazer cada personagem secundário de uma forma na qual fica impossível não gostar deles. O livro em alguns momentos acaba se tornando previsível, porém teve horas que eu arregalei os olhos e me perguntei: COMO ELE FEZ ISSO? O livro realmente é interessante.


O que não gostei muito foi por ser folha branca, ele possui 317 páginas, e, tudo isso em folha branca cansa muito a vista. Outro fato foi que é perceptível que ele não teve uma boa revisão pois encontrei alguns erros de grafia bem visíveis. Por isso acabei deixando o livro com 3 estrelas. 


17 comentários

  1. E ae Italo?
    Não curto mt livros de faroeste mas esse eu leria. Gostei mt da resenha.
    Abraço
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse tipo de leitura não sou muito acostumada a fazer,mas se a narrativa e os personagens são bons eu até curto.

    ResponderExcluir
  3. Oiee ^^
    Sabe que eu sempre gostei dessa coisa de Velho Oeste? kkkkk' ainda quero conhecer uma cidade nesse estilo um dia. Folhas brancas cansam mesmo *-*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Nunca li nenhum livro desse estilo, mas não porque não gosto, e sim porque não tive oportunidade. Achei a premissa bastante interessante, só fico com um pouco de "receio" de ler por conta das folhas brancas...
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aline!
      Minha mãe sempre me conta que no tempo de escola dela, seu caderno era feito de saco de pão, aquelas folhas bem marrons e foi assim que ela aprendeu a ler e escrever. Sei que folhas brancas cansam as vistas, mas nenhum médico ainda proibiu. Acho que não seria o caso perder uma história, por que ela está em folhas brancas.

      Um forte abraço.

      Excluir
  5. xiiii, livro cm má revisão é uma bosta, eu n acho que leria esse livro, e só por conta dos erros, mas também por não ser o estilo que gosto de ler ^^
    http://muchdreamer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá Italo, tudo bem?

    Vi você comentando do livro em outro post, mas, ao contrário de você, não me sentiria cativada de sair da minha zona de conforto não hahahha.

    Prefiro apostar no que eu já sei que é bom.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha apesar desse não ser meu estilo de livro favorito.
    Mas tudo depende do enredo e dos personagens ^^

    Abraços :D
    http://portalnerdss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu já tinha visto uma resenha sobre esse livro e até gostei. Não vou dizer que fiquei super empolgada, mas leria. Só que é muito ruim quando um livro não é bem revisado e com folha branca então me desanima pois tenho problema de vista.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bom?
    Eu não conhecia o livro, porém curti muito a proposta dessa história. Mesmo não tendo lido nada ambientado no velho oeste, essa época desperta minha curiosidade e sempre me cativou nos filmes.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Parace ser um bom livro, mas confesso que não me agradou, nem de faroeste eu gosto
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá...

    Sair da zona de conforto dependendo é uma boa experiência e parece que a sua foi boa... uma vez eu sai da minha e também foi bem legal... Esse não é o tipo de leitura que costumo fazer e não me interessei pelo o livro.. Já li outras resenhas dele e não vi nada que pudesse me instigar a curiosidade... nada de ruim com as resenhas, todas foram bem escritas e explicadas assim como a sua, mas o enredo não faz mesmo o meu estilo... Xero!!!

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    O livro não me interessou muito, não sei explicar porque. Acho que não leria. Mas achei legal o autor dar destaque aos personagens secundários, que muitas vezes ficam pra lá de apagados, rs
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Ítalo,
    A história do livro é bem interessante, mas cativo muito também a parte física do livro, e como foi dito as folhas são brancas e acabam forçando a visão por isso fiquei com pé atrás em lê-lo, mas tirando e parte das folhas brancas e dos erros de grafia achei a história legal.
    Abraço!
    Romes Neto
    http://bibliotecacrazy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Ita, tudo bem aí?
    Foi mal, achei essa capa péssima! Se visse ele numa livraria, nunca compraria, só se alguém me recomendasse MUITO, aí seria outra história KKK.
    Gostei um pouquinho da sinopse, achei meio bobinha mas enfim... só lendo pra saber.
    Abraços Ita

    ResponderExcluir
  15. As folhas brancas não me importam muito sabe, mesmo usando oculos, não me incomoda, quanto a revisão, esse sim é um fator que acaba interferindo principalmente quando é visível. Eu até acho interessante o tema do velho oeste, mas também não é muito a minha praia, rs.

    Beijos.

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  16. Fala Italo, tudo bom?
    Cara, nunca li nada de faroeste, então não tenho uma opinião formada quanto a gostar ou não do gênero. Acredito que daria uma chance :)
    Ótima resenha.

    Gabriel - umpapoentrepaginas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir