Resenha: Proibido por Tabitha Suzuma


Proibido
Editora: Valentina
Páginas: 304
Nota: 5/5 ♥

Sinopse: Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes. Eles são irmão e irmã. Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.


Quanto da sua felicidade você sacrificaria pela sua família?

Em Proibido temos a história de Maya e LochanWhitely que assumiram a criação dos irmãos mais novos, desde que seu pai os abandonou à cinco anos. Com a mãe alcoólatra e a falta de dinheiro, eles tem que lutar para que seus irmãos, Willa, de 5 anos, Kit, de treze e Tiffin, de 8, continuem juntos e não sejam levados pela assistência social caso descubram que a mãe deles vive bêbada e nunca está em casa.

O cumplicidade entre Maya e Lochan é intensa e logo passa para um sentimento mais forte: amor. Esses dois terão de achar uma forma de ficar juntos sem que ninguém desconfie, pois, esse seria mais um motivo não só para perder seus irmãos, como também um ao outro. 


Maya é uma garota inteligente e divertida que assumiu o papel de “mãe” aos 11 anos. Ela tem vários amigos, procura sempre ver o lado bom de cada problema e lutará para manter sua família unida, mesmo que para isso tenha que abrir de sua própria felicidade. 

Lochan é inteligente, melhor aluno da turma e “pai” nas horas vagas. Mas sua timidez sempre atrapalha sua vida, porque ele não consegue conversar com ninguém e quando tem que fazer isso, acaba tendo um ataque de pânico. 



Narrado em primeira pessoa, temos a visão de Maya e Lochan. A narrativa é intensa, os sentimentos expostos na sua forma mais crua e verdadeira. Lochan ás vezes parece depressivo, mas ao decorrer do livro descobrimos o motivo disso, e ao descobrirmos torna-se ávido o desejo de entrar no livro e reconforta-lo, 

 A capa mostra uma rosa vermelha envolta por duas mãos, simbolizando o amor proibido dos dois. Em cada começo de capitulo tem um coração feito com arames e quando viramos as páginas esses mesmos arames enfeitam o livro. Proibido, vai fazer você rever todos os seus conceitos de “certo e errado”. perceber como ainda somos preconceituosos, que ainda usamos os dogmas que nos ensinaram quando criança, como desculpa para não aceitamos o amor dos outros. Mas por quÊ em pleno século XXI tratamos o incesto como “errado” e julgamos “normal” casais que traem ou mesmo matam os companheiros? 

A resposta é simples, por que nenhum desses atos fere a moral e os bons costumes, nenhum está pecando, e por isso aceitamos como “normal”. Por mais que seja ficção, não podemos - e não devemos -  ignorar que isso existe, não podemos ignorar que assim como Maya e Lochan muitas pessoas se privam de viver com quem amam por medo de represálias da sociedade. Temos que deixar os tabus e apenas viver. Seja amando seu irmão, primo ou pessoa do mesmo sexo, devemos amar e nada mais.

 Resenha por
Babih 

22 comentários

  1. Olá,

    Eu tenho uma certa curiosidade a respeito desse livro, mas também um pouco de receio, não só pelo tema apresentado na história, como também agora que você mencionou que a Maya só tem 11 anos e o Lochan deve ser próximo disso, fico ainda mais temerosa, pois acredito que os sentimentos de um adolescente são tão intensos e ao mesmo tempo tão confusos. De qualquer forma este é um tema forte, que eu ainda quero ler e formar minha própria opinião. E como você também acredito que devemos quebrar alguns paradigmas, mas não acho que o extremismo deva ser incentivado, afinal, e se fosse um amor tenho uma mãe e um filho ? Ainda seria uma quebra de tabu? A capa é muito bonita e a diagramação aprece ser excelente. Fico feliz que sua leitura tenha sido proveitosa.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oii!
    Adorei a resenha, o livro parece ser muito intenso e cheio de sentimentos fortes. Fiquei cheia de vontade de ler e descobrir mais sobre esse amor proibido!

    Vitória, www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  3. Uou, uma obra que faz realmente refletir sobre certo e errado! Caraca, imagino a situação de Maya e Lochan... complicado, né?
    Fiquei curiosa sobre a obra e, claro, leria. :)
    Beijos, Min

    ResponderExcluir
  4. Hey, Babih!

    Já vi e ouvi falar muito bem desse livro!
    Eu não li, mas pretendo ler ainda este ano. Assim, acredito que, até que eu leia, fica difícil eu dar minha opinião sobre a trama, mas como todo mundo diz, acredito que seja mesmo uma história intensa. Vamos ver.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, quero muito ler essa obra.
    Sempre vejo ótimas resenhas, críticas e comentários a respeito!

    Gosto bastante da temática abordada e acredito que seja uma leitura bem intensa.

    abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi. Que resenha bacana a sua, principalmente o último parágrafo. Li esse livro faz um tempinho, acho que 2015, não recordo, mas gostei do enredo, gostei da problematização e ainda mais voltado ao público adolescente.

    ResponderExcluir
  7. Oi Babih! Sua resenha merece aplausos! Amei! Ainda não li Proibido, mas pretendo ler logo porque parece ser uma leitura bem intensa e eu tenho procurado leituras assim. Parabéns novamente, beijos.

    Blog Ei, Carol!

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Este livro parece ser bem intenso, ainda mais que mexe com coisas que nos é "imposta" desde a nossa infância, como você mesmo disse: mexe com o que aprendemos sobre certo e errado.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  9. Esse livro me despertou a curiosidade desde a primeira vez que li uma resenha dele. A Sua está ótima, com sua opinião muito bem colocada e me instigou mais ainda em lê-lo. A temática e polêmica são muito boas.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. oi ^^
    não é a primeira vez que vejo resenha desse livro e cada vez que leio só desperta mais a minha curiosidade. a capa é super linda!
    gostei muito da opinião, vou tentar ler ainda esse ano <3 Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  11. Adorei sua resenha :) mostrou bem sua opinião e miga, que mente aberta. quero ser assim um dia. haha não sou preconceituosa, mas não consigo imaginar uma relação amorosa entre irmãos como algo normal (também acho que trair e matar não é normal, aliás). Fiquei bem curiosa sobre o livro :D Acho que por ser em primeira pessoa deve ser bem mais intenso.

    Bjs, Cass | www.livroseoutrascoisas.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bem? Eu confesso que não consigo considerar um incesto normal ou certo, mas também não concordo de forma alguma com casais que se ofendem verbal ou fisicamente. Mas morro de vontade de ler esse livro!

    ResponderExcluir
  13. Olá! Eu li o livro e tive a mesma opinião que você. Adorei, pois mostra o amor da sua melhor forma, pois ele acontece no livro, não é nada imposto. E descobrimos, com a leitura, como ainda somos preconceituosos.
    Beijos!

    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá! Sempre tive problemas com livros que abordam dois temas: traição e paixão de irmãos, pra mim é algo que não consigo entender. Mas, entendo que irmãos que convivem juntos, muito próximos e apenas um ao outro esta paixão vai se abrir um dia, contudo ela tem apenas 11 anos de idade, praticamente uma criança e tem que cuidar de seus irmãos e uma paixão! Gostei da sua resenha e sua bela opinião no final!

    Beijão da Lari!
    Brilliant Diamond |Fan Page

    ResponderExcluir
  15. Oi, Babih. Td bem?
    Desde o lançamento deste livro eu quero lê-lo, mas ao mesmo tempo, tenho certo receio, sabe? Várias pessoas já disseram que o final é triste e odeio chorar ao ler livros. Mas ainda estou pensando rs um dia crio coragem.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  16. Oi! Ainda não li, mas confesso que estou de olho no livro há tempos! Bela resenha; espero ler até junho. Quem sabe eu consigo trocar, né? Beijos!

    Carolina Gama

    ResponderExcluir
  17. Babih, já ouvi falar muito desse livro.
    E acho a trama incrível por ser tão chocante.
    Tenho muita vontade de ler esse livro, ele parece ser do tipo ame ou odeie.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  18. Olá! Como vai? Esse livro já estava na minha lista, mas você me deixou um pouco mais curiosa. Pena que eu acho que só devo conseguir lê-lo lá pro final do ano. :/

    ResponderExcluir
  19. Tantas coisas poderiam ter sido diferentes, mas eu acho que o errado nessa história não foi o incesto, foi a vida que essas pobres criança tiveram. Foi a vida sem esperança e infeliz que esses coitados viveram.
    Eu não acho que o principal aqui seja o incesto e sim a vida jogada nas costas de dois adolescentes por adultos irresponsáveis que não tinham o direito de serem pais. É a perda da infância e a rapidez com que as responsabilidades da vida chegaram para os dois, para todos eles na verdade.

    ResponderExcluir
  20. Eu gostei muito da leitura desse livro, realmente é muito intensa, eu entendi como o a autora que mostrar o relacionamento, portanto para mim vejo esse livro de um lado positivo da vida dos dois, afinal sempre foram eles.

    ResponderExcluir
  21. Todo mundo ama esse livro, mas eu não gostei. O casal não me convenceu em nenhum momento e eu achei a história totalmente previsível. Mas, sem dúvida, a temática do livro é bem forte.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  22. Acho que fui a única que achou a leitura tediosa e forçada demais! Antes de comprar o livro, li inúmeras resenhas para ver se de fato tomava coragem e partia para a leitura...Comprei e li o livro em apenas 02 dias, afinal, esperava que o contexto tivesse reviravoltas e não fosse nada do que estava lendo de cara...mas com mais de 150 leituras feitas, eu afirmo com toda certeza que Proibido não me tocou em absolutamente nada...apenas pelo fato de achar que Maya foi em grande partes responsável por tudo que aconteceu.

    ResponderExcluir